Mude o foco das suas finanças: a parábola do pote rachado

A visão de resultado dentro do planejamento financeiro pode ser totalmente transformada quando permite novas óticas.

Existe uma famosa parábola hindu que conta a história de um homem que, todos os dias, tinha que carregar água do poço para sua casa percorrendo uma longa distância. Ele fazia isso amarrando dois potes em uma vara, que apoiava em suas costas.

 

Um deles estava perfeito e chegava ao destino sempre cheinho de água. O outro pote, porém, tinha uma pequena rachadura que causava um vazamento, de modo que chegava a casa com 50% de água.

 

A situação seguiu assim por dois anos, até que o pote rachado resolveu dizer para o homem como ele estava frustrado e triste por não conseguir cumprir seu objetivo: chegar a casa completamente cheio.

 

O homem, então, mostrou ao pote algo que ele nunca tinha reparado. No caminho, do lado da vara em que ficava o recipiente rachado, havia se formado um lindo canteiro, cheio de flores, regadas diariamente pela água que escorria da rachadura do vaso.

 

E mais, o homem disse ainda que, como ele havia visto o que a rachadura do pote estava causando – a formação de um bonito jardim –, aproveitou a oportunidade e lançou sementes para serem regadas e trazerem mais flores ao caminho.

 

O que se pode aproveitar dessa parábola quando pensamos em finanças pessoais?

Para começar, reconhecer que fazemos esforço para cuidar da nossa vida financeira e que esta não é tarefa fácil. Precisamos nos dar parabéns!

 

Em seguida, a história nos ensina que é preciso mudar o foco. Em vez de olhar para o que não estamos fazendo, o que nos deixa frustrados e tristes, se olharmos para o que estamos fazendo, nos sentiremos melhor, mais animados e mais motivados a continuar com os esforços.

 

Muitas vezes, acontece exatamente isso quando pensamos em dinheiro. Colocamos nossa atenção na dificuldade de poupar e de nos organizar para rever o plano de previdência, ou mesmo, fazer contribuições maiores e acabamos desapontados e sem ânimo para continuar firmes em direção aos nossos objetivos: uma vida financeira saudável na aposentadoria.

 

O que fazer então?

Como o carregador dos potes, mudar o foco. Colocar a atenção não só no que você já conseguiu, mas também no prazer sentido quando você olha para seus investimentos e vê que eles estão crescendo ao longo do tempo, ainda que existam momentos de volatilidade e queda do rendimento, o que faz parte do funcionamento do mercado financeiro.

 

E dá para ir ainda mais longe! Como o homem da parábola, você pode lançar sementes para o futuro usando bem o recurso que tem disponível, mesmo que ache que não é muito. O vaso rachado achava que chegar a casa com 50% de água não valia muita coisa…

 

Quando se muda a perspectiva, os esforços passam a valer muito, pois você se dá conta de que eles podem render bons frutos no futuro, quando poderá colher bonitas flores. Nesse momento, então, você vai agradecer a si mesmo por ter feito esse esforço extra.

 

É claro que contar com uma estrutura externa é de grande ajuda. Sua parte é se dedicar a poupar um pouco mais e lançar suas sementes e a parte da Brasilprev é nutrir e cuidar delas para que deem um bom retorno na sua aposentadoria.

 

E, sim, dá para começar com pouco e ver o esforço ser recompensado. Pergunte ao seu consultor sobre o Plano Brasilprev Fácil. Você pode aderir começando com R$ 100 mensais e ir aumentando conforme suas possibilidades crescem.

 

Dá para ver seu dinheiro crescer, o que vai te trazer alegria e satisfação, aumentando seu desejo de poupar mais e fazer aquele esforcinho extra, a fim de colher bons resultados lá na frente.

 

Mude sua perspectiva, pense no que você já consegue fazer e fique orgulhoso de você mesmo!

 

E eu te desejo uma boa caminhada.

 

Renata Taveiros, Neuroeconomista.

Gostou? Veja notícias similares